Search
Close this search box.
Polícia Federal

Operação investiga corrupção em Prefeitura

Foto: Divulgação | PF

Polícia Federal, em imagem de arquivo: megaoperação foca em faculdades

A Polícia Federal deflagrou, hoje de manhã (7), a Operação Coração Rompido, para apurar crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e dispensa indevida de licitação na Prefeitura de Canguaretama, no Rio Grande do Norte.

Segundo a PF, a ação foi motivada por interesse no inquérito policial instaurado em 2022, por meio do qual se detectou montagem de contratação de empresa para prestação de serviços de plantonistas no combate à Covid-19, pela Prefeitura de Canguaretama, no montante de R$ 640 mil, com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS).

A investigação comprovou, além da irregularidade na contratação, o pagamento de vantagem indevida ao então prefeito de Canguaretama, o que se deu por intermédio de terceiros.

De acordo com a PF, os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, por corrupção ativa, corrupção passiva, falsidade ideológica, dispensa indevida de licitação e lavagem de dinheiro e, se condenados, poderão cumprir penas superiores a 9 anos de reclusão.

Ao todo, cerca de 40 policiais federais estão cumprindo 10 mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 2ª Vara Federal/RN, nas cidades de Natal, Parnamirim, São Gonçalo e Jucurutu/RN.  A PF informou que não vai ocorrer entrevista coletiva sobre o caso.

Compartilhe