Search
Close this search box.
Assembleia

Professores da Uern rejeitam indicativo de greve

Foto: Cláudio Palheta Jr. | Aduern

Professores e professoras da Aduern, hoje, na assembleia da categoria

Em assembleia da Associação dos Docentes da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Aduern), hoje (6), professores e professoras rejeitaram, por ampla maioria, indicativo de greve.

Com o resultado, a Comissão de Mobilização e Negociação Docente apresentará, em audiência com a reitora Cecília Maia, o resultado da assembleia de forma oficial.

Na mesma reunião, ainda em data a ser definida, a representação docente entregará o conjunto de sugestões dos professores e professoras presentes à assembleia.

O objetivo, segundo a Aduern, é continuar a negociação com a administração da universidade.

A diretoria da Aduern considera positiva a assembleia, que durou mais de três horas. “Vimos um exemplo do debate democrático na esfera sindical”, avaliou o presidente da associação, Neto Vale.

“Queremos que todas as nossas assembleias sejam lotadas desse jeito e que o contraditório, o plural, seja sempre respeitado. Hoje, mesmo com as dificuldades técnicas, tivemos associados de Assu, Patu, Caicó, Pau dos Ferros e Natal participando ativamente da assembleia. Enviando propostas e votando em cada ponto de pauta”, acrescenta Vale.

Reitoria apresenta proposta reformulada

 

Ainda conforme a Aduern, a categoria recebeu, na assembleia, proposta reformulada da reitoria, que oferece:

• Implantação, em 2023, da tabela do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) docente, com aumento de 5% no salário-base, para todas as classes e todos os níveis;

• Implantação, em 2024, da tabela 3, com elevação da titulação: 10% para a Classe I; 26% para a Classe II e 55% para a Classe III;

• Antecipação da tabela 4, de 2025 para 2024, com aumento linear de 10% no salário-base;

• Assinatura de uma carta compromisso com as categorias docentes e técnico-administrativa para, a partir de 2025, construir campanha salarial, discutir reposição de perdas, dentro das condições garantidas pela autonomia financeira da Uern.

Avanço

A proposta da Aduern é de 15%; 20%; e 30,4% para o período de 2023 a 2025 e outras demandas, como a averbação e retorno dos antigos percentuais de titulação.

Em relação a esse ponto, a direção da Aduern reconhece que houve avanço na proposta da reitoria e diz esperar um pouco mais de avanço no percentual de 2023.

“Com 5% de reajuste, tem professores que terão menos de R$ 300,00 de aumento em seu salário, o que é um desestímulo, pois não cobre nem a inflação de 2022, que será de aproximadamente 6%”, alerta Neto Vale.

Compartilhe